quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Pretérito Imperfeito

Pretérito Imperfeito

Bumerangue lançado no espaço
Quedando-se açoitado pelo vento
Não fez da sua curva o movimento
Perdeu-se para sempre no embaraço.

Partiu, sem dar adeus, o trem da vida...
(Mãos acenam de longe um lenço gasto)
Para onde vai? Por quais trilhos tão vastos?
Qual plataforma? Que estação desconhecida?

Pelas pradarias, veloz na cavalgada
Foi-se em galope o alazão indócil
Para não voltar, perdendo-se adiante.

Ponteiro de relógio em disparada
Chance desperdiçada pelo ócio.
Pranteia arrependido doravante!

Rio de Janeiro, 31/07/2017.